CMEC Nacional dá posse a 46 conselheiras, executivas e consultivas

Presidido por Ana Claudia Badra Cotait e com integrantes de relevância nacional, o Conselho já inicia seu trabalho com um projeto em parceria com o Sebrae, que vai aportar quase R$ 9 milhões em ações de fomento ao empreendedorismo feminino

CMEC Nacional dá posse a 46 conselheiras, executivas e consultivas

Com grande destaque ao empreendedorismo feminino e à importância da participação das mulheres no sistema das Associações Comerciais do Brasil, o presidente da CACB, Alfredo Cotait Neto, deu posse às 46 integrantes da Diretoria do Conselho Nacional da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC), nesta quinta-feira (09), em cerimônia realizada em São Paulo.

Presidido por Ana Claudia Badra Cotait, o CMEC vai atuar nacionalmente como instrumento para que lideranças femininas discutam seus problemas e proponham novos rumos positivos para a comunidade empresarial. O grupo traz em sua formação nomes de grande relevância para o país, como Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Janete Vaz, sócia-proprietária e diretora Executiva do Grupo Sabin, e Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora.

“Não fazemos nada sozinhos e aqui vamos contar com a colaboração de mulheres importantes, ativas e de referência nacional. Nosso Conselho vai focar na capacitação, na qualificação, em políticas públicas e na melhoria da autoestima das empreendedoras de todo o País”, disse Ana Claudia.

Em sua fala, a presidente do CMEC se disse apaixonada pelo associativismo e afirmou que vive hoje exclusivamente para ajudar as mulheres a empreenderem e crescerem. “Encerro minhas palavras com uma frase da Clarisse Lispector, que diz que ‘liberdade é pouco. O que desejo ainda não tem nome.’ É isso que desejo a todas nós nessa caminhada que iniciamos hoje”, completou.

O presidente da CACB destacou a dimensão com que o tema tem chegado ao sistema das Associações Comerciais, que, para ele, é o lugar adequado para que as mulheres do associativismo possam desenvolver suas ideias e realizar seus sonhos, se comunicando entre si, independente da distância física que separe suas realidades. “O Brasil é um continente, mas nós somos um único povo, e a razão de estarmos aqui é a de reconstruir o nosso País. Vocês são fundamentais nesse processo de definição do nosso futuro”, disse Alfredo Cotait Neto.

Ainda segundo ele, o maior desafio que ele terá à frente da Confederação é construir uma rede bem estabelecida, que hoje precisa ser despertada. “Imagina a força dela organizada, fazendo nosso trabalho chegar à ponta? Precisamos entender que este é o sistema mais forte e com o maior potencial para realizar essa tarefa. Vocês terão todo o meu apoio e um papel importante para me ajudar na construção dessa rede, que é a maior associativa do Brasil”, declarou.

Representatividade

A senadora Ivani Boscolo (PSD-SP), vice-presidente do CMEC Nacional, destacou a representatividade do Conselho, que tem empreendedoras fazem o Brasil crescer “do Oiapoque ao Chuí”. “São muitos os projetos que vamos desenvolver. De mãos dadas, com certeza faremos com que essa gestão seja muito profícua”, afirmou.

O CMEC Nacional agora é composto por 23 conselheiras Executivas, representantes de Federações do Sistema CACB, e 23 conselheiras Consultivas, convidadas a trazerem ao Conselho sugestões de ações para serem desenvolvidas pela CACB.

Veja a composição do CMEC:

“Quando a gente caminha junto para um mesmo objetivo, a chance de conseguirmos chegar é muito maior. Por isso, mais do que tudo, vamos caminhar para empurrar políticas públicas para essas mulheres, o que é fundamental para virarmos o jogo”, disse Ana Fontes.

Luiza Helena Trajano desejou sucesso a todas e disse que “o trabalho será um sucesso e, juntas, vamos cada vez mais desenvolver o emprego no Brasil”. Já Janete Vaz falou da honra de compor o CMEC. “Vamos contribuir para fortalecer a rede de mulheres das Associações Comerciais do Brasil”, completou.

A vereadora de São Paulo Edir Sales (PSD) disse nunca ter visto um movimento como este, mesmo em longos anos de vida pública, o que, para ela, “é de arrepiar”: “saio daqui muito animada para atuar com vocês no fortalecimento da rede de mulheres empreendedoras”.

Já a secretária municipal de Cultura de São Paulo, Aline Torres, o CMEC está repleto de sementes de transformação que vão gerar grandes progressos para o Brasil e fazer com que “mais mulheres ocupem cada vez mais espaços de poder”.

Projetos

Durante o evento de posse, Ana Claudia Badra Cotait anunciou a realização de dois projetos. Um com o Bradesco, para dar crédito às empreendedoras, e que será debatido no dia 21 de junho. O outro, com o Sebrae, que vai aportar quase R$ 9 milhões em ações de fomento ao empreendedorismo feminino.

De acordo com Carlos Melles, presidente do Sebrae, o “Desenvolve mulher empreendedora” será executado em 30 meses, levando capacitações e consultorias, em áreas como articulação, governança, fortalecimento de redes, desenvolvimento de de competências técnicas e socioemocionais, crédito, entre outros. “Ou seja, vai empoderar as mulheres para fazerem o que fazem muito bem: empreender”, declarou.

Para o diretor Técnico da entidade, Bruno Quick, o Sebrae e o CMEC se unem pelo tema certo, na hora certa. “Com toda a sensibilidade e persistência da mulher, vamos levar conhecimento, consultoria, treinamento, mentorias, atendimentos e serviços às empreendedoras e às suas empresas”, completou.

Também participaram da cerimônia o 1º vice-presidente da Facesp, Roberto Mateus Ordine, e o superintendente da CACB, Carlos Rezende. Logo em seguida, o CMEC realizou ainda sua primeira reunião ordinária.

Clique aqui e acesse as fotos do evento.