16 de outubro de 2019

Campina Grande poderá ser o primeiro polo de comércio eletrônico do interior nordestino, diz Associação Comercial

Com o apoio do SEBRAE, a Associação Comercial de Campina Grande (ACCG) realizou um encontro na noite desta terça-feira, (15), em um dos hotéis da cidade, onde a pauta principal foi a apresentação do modelo de negócio online, mais conhecida como marketplace, ou shopping virtual. Segundo o presidente da ACCG, Marcos Procópio, o evento teve como objetivo oferecer uma importante contribuição para desenvolver Campina Grande como polo de comércio eletrônico no Nordeste.

Os marketplaces estão presentes no Brasil desde 2012, oferecendo diferentes tipos de propostas e de modelos comerciais, segundo explicou o convidado da Associação Comercial, Caio Cesar Marques, representante da B2W Marketplace. Segundo ele, estas plataformas conseguem gerar um grande fluxo de consumidores, alcançando milhões de clientes no mundo todo, através das lojas online. No Brasil, os marketplaces já são responsáveis por mais de 30% das vendas na internet.

Caio Marques explicou que a B2W Digital tem um modelo de negócio único, multicanal, multimarca e multinegócio. A Companhia atua nas seguintes frentes: e-commerce nas marcas Americanas.com, Submarino, Shoptime; plataformas de serviços de crédito ao consumidor, com o Submarino Finance e o Digital Finance; plataforma de tecnologia; plataforma de logística, distribuição e atendimento ao cliente; e Marketplace.

Para expressar o fluxo de consumidores na plataforma, Caio Marques mostrou que a B2W Marketplace gera 635,5 milhões de pageviews (número de página visualizada) e 154,7 milhões de visitas únicas todos os meses. Para ingressar nesse modelo de negócio, segundo o especialista, não se faz necessário nenhum investimento extra e a remuneração do serviço é com base nas vendas realizadas pelas empresas.

Ainda durante o encontro promovido pela Associação Comercial, o representante da B2W anunciou uma taxa promocional, com redução de 50%, para as empresas de Campina Grande que aderirem àquela plataforma de vendas online até o final deste mês de outubro. A taxa cobrada será de 10% permanecendo este percentual de descontos até 31 de dezembro. Ele lembrou que as comissões são devidas apenas com a venda concretizada. Outro diferencial, segundo Caio Marques, é que o pagamento aos lojistas é feito pela plataforma em uma única vez, mesmo que a venda tenha sido parcelada.

Outra apresentação realizada ontem no encontro empresarial promovido pela ACCG, ficou por conta da Tiny ERP, empresa com larga experiência em processo de comércio eletrônico, que oferece um sistema de gestão para esse segmento de negócio. Entre suas principais funções do software da Tiny está a centralização das informações de diferentes setores das empresas, para que os dados sejam mais precisos e facilitem a tomada de decisão quando necessário. Ele simplifica, controla e otimiza a rotina das empresas. A apresentação das funcionalidades da Tiny ERP ficou por conta do consultor Bruno Oltramari.

O presidente da ACCG, Marcos Procópio, afirmou que o encontro realizado na noite desta terça-feira foi mais um de uma série que a entidade pretende promover, visando inserir o empresariado local nesse novo modelo de negócio e transformar Campina Grande num polo de e-commerce. “O comércio digital é um caminho sem volta e nós de Campina Grande não devemos ficar de fora desse mercado, que cresce no Brasil a taxa média de 16% ao ano”, declarou Marcos Procópio. Ele acrescentou ainda que “os shopping centers virtuais são responsáveis por mais de 30% das vendas online no país, constituindo-se num importante canal de vendas para as empresas”. Para o presidente da Associação Comercial, se for possível para o empresário, depois de um processo de planejamento, a empresa dele deve estar presente no maior número de canais de vendas, sejam eles físico ou virtual, para atender os diferentes tipos de consumidores.

O dirigente empresarial informou que se o empresário necessitar de informações sobre esse novo ecossistema, pode procurar a Associação Comercial de Campina Grande ou o SEBRAE, para obter mais conhecimentos. “Estamos diante de um novo comportamento de consumo que está levando o comércio digital a uma forma de crescimento acelerada, respondendo a esse novo modo de se comprar produtos e serviços pela internet e o nosso propósito e fazer de Campina Grande o primeiro polo de comércio eletrônico do interior do norte nordeste”, assentou o presidente da ACCG.