14 de setembro de 2020

Associação Comercial de Campina Grande apoia o Global Retail Show

Evento virtual discute o consumo do “novo mundo”.

Em parceria com a consultoria em varejo Gouvea, a Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande está apoiando institucionalmente o evento “Global Retail Show 2020”, que está acontecendo virtualmente, discutindo o consumo do “novo mundo”. O congresso foi iniciado ontem, 13, e se estende até sábado, de 19 de setembro.

De acordo com a organização do evento, o objetivo do Global Retail Show 2020 é que ele seja uma plataforma de discussão para varejistas, empresas de consumo e fornecedores de solução em mundo pós-Covid-19.

Mais de 275 palestrantes do Brasil e de fora do país vão participar do “Global Retail Show”. Ao todo, o evento terá 150 horas de conteúdo distribuídas em 65 sessões totalmente online.

  • A Nova Era Digital no Brasil
  • Novos Hábitos de Consumo dos Alimentos Pós-Covid-19
  • Acelerando vendas no pós Covid
  • O olhar feminino na gestão do amanhã
  • Potencialização de Pessoas para o Amanhã
  • Competências para uma nova era
  • Futuro dos Shoppings
  • Eficiência e Crescimento do Varejo diante da Covid
  • Tendências de negócios pós-2020
  • Liderança no Novo Mundo

Nos anos anteriores, em parceria com o SEBRAE, a Associação Comercial de Campina Grande se fez presente nos encontros, conduzindo caravanas de empresários locais, visando inseri-los nas temáticas que discutem e analisam as tendências de futuro do varejo e suas tecnologias. Este ano, em razão da pandemia do novo Coronavírus, os associados da ACCG estão participando do Global Retail Show 2020 por videoconferência.

Serão 270 palestrantes e 150 horas de conteúdo, com pesquisa e curadoria realizada em 15 países. Entre os convidados estarão Peter Diamandis, fundador da Singularity University, Rudolph Giuliani, assessor de Donald Trump, Matthieu Caloni, das Galerias Lafayette, além de empresários e executivos brasileiros como Abilio Diniz, Artur Grynbaum, Fábio Coelho.

“O primeiro grande objetivo do evento é aprender a partir de uma visão global o que é o processo de retomada“, diz Gouvêa. Segundo ele, a aceleração da digitalização traz desafios adicionais aos varejistas, que vão demandar mudanças profundas. No Brasil, segundo sua projeção, a pandemia vai ampliar a fatia do e-commerce de 5% para 10% do varejo total.

“De uma hora para a outra, por contingência, as pessoas descobriram a conveniência e a facilidade do e-commerce. O resultado, em efeitos macro, é uma queda geral de preços e de rentabilidade. Os varejistas precisarão ter muito mais foco na eficiência operacional para equilibrar o resultado final”, diz o especialista.

Como reduzir essa pressão na margem? Uma necessidade, segundo Gouvêa, é levar emoção ao varejo online. Como? Lives, realidade aumentada e outras alternativas que despontam em países como a China tendem a se tornar cada vez mais comuns no Brasil, afirma.

“Discutir temas macro como esse é a ambição pela qual nasceu o projeto. Vamos interconectar 15 países com análises sobre transformações aceleradas pela pandemia e o impacto que pode trazer aos países, com foco especial no Brasil”, diz.

Há outras mudanças em curso, que serão tema dos 65 painéis de discussão do evento. “A pandemia acelerou o movimento dos fabricantes de bens de consumo de ir direto para o varejo”, afirma Gouvêa. Isso vale para fabricantes de eletrodomésticos, roupas e calçados turbinando suas lojas online, mas até para fabricantes de sabão em pó criando projetos de lavanderias dentro de condomínios.

“A ideia é precipitar uma visão holística trazendo líderes que inspiram líderes para compartilhar suas experiências. Uma curadoria azeitada para contribuir para que a retomada possa ser mais rápida e inteligente”, afirma. “Queremos trazer mais elementos para um amplo repensar do consumidor ao empresário. Como se reposicionar e o que fazer de prático para melhorar a eficiência dos negócios”.

Fonte: Redação ACCG com revista Exame