Pesquisa feita pela UFCG avalia comércio de CG

13 de dezembro de 2019 Notícias 0

Segundo revela uma pesquisa de opinião, realizada pela empresa júnior Maxecon, do curso de Economia da Universidade Federal de Campina Grande, 74% dos consumidores avalia entre Ótimo e Bom o comércio varejista de Campina Grande e pretendem gastar nas compras de final de ano, em 2019, em média R$ 699,00. Segue uma síntese das informações apuradas sobre hábitos de compra, avaliação da experiência de compra e grau de recomendação do comércio varejista de Campina Grande, melhorias sugeridas e decisão de compra para as festividades natalinas de 2019. Hábitos de compras Em entrevistas presenciais nas ruas do centro comercial de Campina Grande, transeuntes, de forma sistemática, foram instados a responder sobre seus hábitos de compras no comércio varejista. Quanto à frequência em que vêm realizar compras no comércio do centro durante o mês, a grande maioria (79,6%) informou que vem até 4 vezes por mês. Em relação aos canais de compra mais utilizados: lojas do centro (56,79%), internet (29,01%) e shopping center (14,20%). Indagados se já realizaram compras por smartphone, as respostas se distribuíram em sim (48,9%), não (48,2%) e não tenho smartphone (2,8%). As principais modalidades de pagamento que mais utilizam são: à vista, em dinheiro (42,69%), cartão de crédito (40,93%) e cartão de débito (14,62%). E quando compram a crédito, 82,52% dividem seu pagamento em até 5 parcelas. Em quais meios este consumidor se informa sobre preços e promoções das lojas, as respostas se distribuíram assim: redes sociais (40,98%), visitando as lojas (27,87%), folheto impresso (14,75%), rádio e/ou TV (9,29%) e amigos ou parentes (7,10%). Avaliação da experiência de compra Inquiridos se encontram tudo que necessitam no comércio do centro de Campina Grande, responderam sempre 48,6%, às vezes 45,8% e nunca apenas 5,6%. Sobre a experiência de compra nas lojas do centro opinaram: ótima (14%), boa (60,3%), regular (23,5%), ruim (0,7%) e péssima (1,5%). Contrastando, a experiência declarada com o comércio online foi classificada como ótima (26,9%), boa (59,1%), regular (10,8%), ruim (1,1%) e péssima (2,1%). A avaliação ótima e boa (86%) do comércio online supera a avaliação ótima e boa (74,3%) do comércio nas lojas físicas em 11,7 pontos percentuais. Associada à experiência de compra do consumidor emerge a ideia de fidelidade, quanto mais positiva a experiência mais provável o fortalecimento da fidelidade. A métrica do Net Promoter Score (NPS), metodologia criada por Fred Reichheld, nos EUA, tem a finalidade de medir o grau de satisfação e fidelidade dos consumidores de qualquer tipo de empresa, com a aplicação de uma única pergunta “O quanto você recomenda a nossa empresa para seus amigos e familiares?”, considerando uma escala de 0 a 10. De acordo com esta metodologia, os consumidores são classificados em função do intervalo das notas emitidas: detratores (notas de 0 a 6), neutros (notas entre 7 e 8) e promotores ( notas 9 a 10). O cálculo do NPS efetua-se pela diferença entre o percentual de promotores e o percentual de detratores. Obtido o NPS, este indicará onde se encontra a empresa em determinada zona de classificação: zona de excelência (NPS entre 75 e 100), zona de qualidade (NPS entre 50 e 74), zona de aperfeiçoamento (NPS entre 0 e 49) e zona crítica (NPS entre -100 e -1). Nesta pesquisa de opinião, os consumidores foram indagados com a questão “De 0 a 10 você recomendaria o comércio varejista de Campina Grande para um amigo ou parente?”. Obteve-se a seguinte distribuição: promotores 22,69%, neutros 59,67% e detratores 17,73%. O NPS alcançou o valor de 5, classificando o comércio varejista de Campina Grande na zona de aperfeiçoamento. Em seguida, foi solicitado “Quais melhorias você sugere para o comércio varejista de Campina Grande”. Em virtude dessa questão receber respostas em frases curtas na forma de texto, a sua apuração de frequência exigiu a aplicação de técnicas de análise de texto (text mining). E um dos resultados dessa técnica é um gráfico chamado nuvem de palavras (world cloud), onde as palavras mais frequentes aparecem em tamanho maior e de cor diferente. No gráfico abaixo, aparecem em destaque as palavras preço e variedade como as mais frequentes nas frases de melhorias sugeridas para o comércio varejista de Campina Grande.

Decisão de compra Conforme os respondentes, no ato de compra os principais fatores determinantes são atendimento e preço (68,30%) e qualidade (24,74%). Nas compras de final de ano, em 2019, pretendem gastar em média R$ 699,00 e a mediana da distribuição de valores respondidos foi igual a R$ 500,00, ou seja, 50% dos respondentes desejam gastar até R$ 500,00. O grupo de produtos onde esses gastos serão distribuídos: vestuário (53,05%), cosméticos (15,24%), eletrônicos (15,85%) e brinquedos (15,85%). Perfil demográfico dos respondentes A maioria dos respondentes (76,76%) declarou ser residente de Campina Grande; 44,37% do sexo masculino e 55,63% do sexo feminino; em relação à faixa etária, 80% tinha até 44 anos de idade; cerca de 37% eram casados ou em união estável e 63% entre solteiros, viúvos e divorciados; 77,5% tinham grau de escolaridade entre o segundo grau completo e superior completo e 76% declararam receber em média por mês até 2 salários mínimos. Sobre a pesquisa Esta pesquisa faz parte de um exercício prático do conjunto de treinamentos ministrados aos alunos de Economia da UFCG participantes da empresa júnior Maxecon (UFCG), sob a tutoria do Professor Economista Carlos Antonio Soares de Andrade. Foi mostrado aos alunos o processo de planejamento, construção do questionário e execução das entrevistas na metodologia survey de coleta de dados de pesquisa de opinião. A pesquisa foi realizada através de entrevistas presenciais, entre os dias 7, 8 e 9 de novembro de 2019, seguindo o roteiro de um questionário com questões estruturadas, abordando pessoas de forma sistemática nas ruas centrais de Campina Grande e estratificadas por quotas de gênero e faixa etária. A amostra obtida de 142 respondentes é representativa do universo, baseado na última edição do cadastro da população apta ao voto, publicada pelo TSE. Considerando o intervalo de confiança de 95%, esta amostra apresenta uma margem de erro de cerca de 8,4%. Em pesquisas exploratórias é permitido até 10%. Os resultados apresentados servirão de subsídio na geração de hipóteses em pesquisa mais ampla do universo de consumidores do município de Campina Grande.

Por: professor Antonio Carlos